terça-feira, 3 de fevereiro de 2009

Porque a Aves do Paraíso é mais cara do que o Sacrogenitor?

Sim, o texto, pelo título, parece cretino. Agora pensem, quem aqui não conhece nenhum jogador que no começo de sua carreira, em época provavalmente pouquíssimo gloriosa, realizou trocas "excelentes", como sua Aves do Paraíso sendo trocadas por um maravilhoso e gigantesco Estouro de Rinocerontes?

A grande questão é que mesmo fora de casos discrepantes, as pessoas não conseguem entender quando estão começando, porque exemplos menores, como um Akuba Iníquo pode ser melhor do que uma criatura 6/4.

Confesso que isso é uma situação difícil. Eu digo, qualquer um de nós consegue perceber isso, mas é algo tão óbvio para jogadores mais sérios que fica até difícil você tentar explicar. É a mesma coisa que tentar explicar porque um carro te machuca quando te atropela... as pessoas não costumam fazer contas de peso e força do impacto, você simplesmete se machuca/morre!

Da mesma forma que Danação é MUITO, mas a ponto de não merecer uma comparação com Vento Pestilento. Eu quero dizer, é muito melhor resolver um Plague Wind a uma Danação, mas as pessoas esquecem dos empecilhos que fazem com que seja MUITO mais fácil resolver uma Danação do que um Vento.

Tentarei me basear em argumentos e cálculos exemplificados para poder mostrar e convencer as pessoas o porque de grande maioria das cartas não ver jogo.

Caso Número 1: O Falso Mulligan
Muitas vezes nos vemos na situação do mulligan. Quando temos na mão um Terror e o deck do seu oponente só tem criaturas pretas e artefatos por exemplo, você pode dizer que mulligou, mesmo tendo 7 cartas na mão. Um Ultimato Cruel na mão inicial também é um mulligan, porque você poderá jogá-lo, com sorte, no sétimo turno. Se sua mão tem 4 terrenos, duas mágicas e um Ultimato, você pode contar como um mulligan, pois você tem 4 terrenos e duas mágicas apenas, sabendo que não pode contar com essa mágica para "desenvolver seu jogo".

Por esse motivo os decks usam poucas cartas de custo muito abusivo ou utilidade muito situacional. Esse é o motivo pelo qual você NÃO usa Godsire em deck algum. Ele é um mulligan, e quando ele FINALMENTE cai na mesa, se cair, óbvio, ele é alvo fácil de qualquer coisa que seu oponente tenha.

Vale lembrar que várias cartas "proibitivas" jogam em decks, o Ultimato Cruel por exemplo, mas você não pode usar 4 deles, pois se abrir 2 deles na mão inicial, você mulligou para 5, então valerá mais a pena mulligar de verdade para ter 6 cartas na mão (correndo o risco de um "novo mulligan" se ele sair na mão novamente).

Caso Número 2: O impacto Causado
Lembra do exemplo inicial de Akuba x Serpente? Imagine só que você tem a Serpente e começa o jogo. Você faz um terreno, enquanto seu oponente também. Você faz outro terreno, e seu oponente o Akuba. Você faz o 3º terreno e toma 5 pontos de dano (seu oponente fez outro terreno). Digamos que você consiga o 4º terreno e jogue uma aceleração de mana, você tomará mais 5 de dano (seu oponente não fez o 4º terreno!) e finalmente, com 10 de vida a menos e 3 terrenos a mais, gastando uma aceleração, você consegue descer sua criatura 6/4. Pode parecer "mentira", mas isso é uma situação plausível. E grande parte das remoções mata as duas criaturas, ou mesmo que seja um "2-por-1", do tipo um Incinerate, você perdeu 10 pontos de vida, enquanto eu não perdi nada.

É lógico que você pode alegar que vai fazer mais criaturas dessas e será difícil para mim, mas eu também posso alegar ter feito uma criatura no turno 1 e outra no turno 3, e ter uma remoção que nem terror para usar antes de atacar. Tentei reduzir ao máximo o exemplo para poder exemplificar, mas se levarmos para um deck completo, sua situação fica ainda pior!

Fora a possibilidade de eu usar algumas mágicas que anulem as suas. Nesse caso, fica ainda pior, pois você tem mais mágicas inúteis (de buscar terrenos para descer rapidamente suas criaturas) e menos chances de suas grandes mágicas causarem impacto (já que existe grande chance delas serem todas anuladas).

Lógico que existem decks que usam criaturas de 8 manas, mas para fazer isso, você precisa pensar 1000 vezes. É necessário usar MUITAS cartas de poucas manas para poderem segurar o jogo, para aí então resolver uma das 3~5 cartas que custam mais manas, e só essas 3~5 vão no deck! Não dá pra gostar de tudo quanto é bichão que parece forte, porque ou a)você já está morto quando ele entra; ou b)ele não causa impacto o suficiente. As cartas que causam esse impacto precisam de um deck voltado a te manter vivo até que você faça isso! Coincidência que o melhor deck do momento usa cartas de custo 2 e 3, com poucas cartas de custa 4 e nada acima disso?

Caso número 3: Morri por um turno!
Acho que vocês já viram muitas pessoas exclamando: "Affe, minha mão estava perfeita, só faltou terreno!". É lógico que elas falam isso, porque uma mão sem terrenos tem mais cartas, logo, mais respostas! Então é lógico que a mão estava perfeita, com exceção desse "pequeno detalhe". Da mesma forma, com um deck repleto de cartas de custo alto você terá muitas vezes a sensação de que "só faltava um terreno" para você jogar uma mágica ulta-poderosa-que-com-certeza-ia-ganhar-o-jogo. Falsa ilusão, porque seu oponente provavelmente poderia lidar com ela (anulando, voltando com mais drops fortes, coisas do tipo...).

Caso Número 4: O Golpe de Tempo
O golpe de tempo é óbvio. Se você desce uma criatura excepcional NA MESA, como um Príncipe dos Servos, e toma no passe um maravilhoso Bumerangue (se você quiser falar que não é uma carta do ambiente, é porque estou te poupando de falar do Comando Críptico, que poderia logo anular), você acaba de tomar um time walk! Sim, pois você não vai conseguir jogar outra mágica ou coisa do tipo, você simplesmente deu um turno inteiro para seu oponente!

Esses golpes de tempo são muito fortes, e por vezes podem definir a partida! Se transformar um Bumerangue numa Distorção do Tempo não é um efeito forte, então honestamente eu não sei o que é.



Vale lembrar que, estatisticamente falando, os decks são construídos com toda uma matemática que te diz se você vai conseguir ou não fazer um drop de uma mana no turno 1 e etc. Apesar de toda a matemática, muitas vezes você "falha", e não consegue isso. Seja por falta de mana, ou falta das cartas corretas. Agora, por pior que seja uma carta de custo 2 com 6 manas na mesa, concorda que é MIL VEZES PIOR uma carta de custo 6 com 2 manas na mesa?

Aves do Paraíso é uma carta muito boa. Ela é um segundo terreno que pode ser descido no turno. Trocando em miúdos, se você acha que o Monge Rhox é bom, imagine ele sendo descido no segundo turno? Ela pode ser pífia, quase inútil, quando em combate, mas ela tem outras muitas funções. Criaturas que jogam SOMENTE por seu P/T (Poder e Resistência) são raríssimas! Um exemplo delas é o Tarmogoyf ou até mesmo o gatinho, mas notem, eles tem potencial para terem seu P/T como o TRIPLO do seu custo de mana! Isso é o que é necessário para a carta jogar! Efeitos bons (Ímpeto, Manto, Não-Pode-Ser-Bloqueado) em combinação com a carta!

Façam uma analogia com o Xadrez. O que é valorizado no Xadrez? A movimentação das peças! Elas não tem custo de mana, mas quanto mais ela se movimenta, menos dela você tem! Por isso você tem vários peões, que são muito limitados, e apenas uma rainha, que tem movimentação livre! Você pode usar cartas pesadas, isso vai de seu gosto! Tem jogadores que gostam de trocar peças para poder finalizar com a rainha, outros preferem sufocar com suas peças menores! Todas as estratégias são boas, desde que bem preparadas!

E daí sai a lição de saber o que faz! De entender que uma carta que destrói todas as criaturas "As minhas também? SIM!" é boa! Lógico, você não vai fazer um deck com 34 criaturas, 22 terrenos e 4 dessas cartas, mas ela pode ser encaixada, e merece seu valor!

Acredito que a grande parte dos que leram esse post devem ter pensado "pow, eu já sabia tudo isso!". Esse texto é sem dúvida mais voltado para jogadores iniciantes, e estou preparando um mega-primer-conhecendo-o-jogo para as novas parcerias que pretendo arrumar, então essa semana tende a ser uma semana "for-tokens". =) No entanto, vou tentar ao máximo fazer com que esses textos sejam o mais interessantes o possível, para não perder o público. =)

Muito obrigado a todos os leitores, dúvidas, sugestões, reclamações ou comentários, deixem aqui mesmo ou enviem para caue.hattori@gmail.com!

Abraços e até amanhã!

4 comentários:

  1. Muito bom, levando em consideração que haverá um evento aqui na minha cidade onde eu estarei divulgando o magic e ensinando novos jogadores!
    Pretendo usar seus textos, mas é óbvio que darei o devido crédito e passarei o link do blog inclusive...

    Continue assim! Abraços

    ResponderExcluir
  2. é hj foi bem pra token msm mas já que é pelo bem do blog vamos lá! ^^

    ResponderExcluir
  3. ahuhuhauhauhauahauh!!
    verdade!!
    ja que vc flo que todo mundo vai qre posta aki, vo posta todo o dia!
    hauahuahauhau
    flw

    ResponderExcluir
  4. quando uma carta como molda-solo transforma um terreno em criatura esta tem impeto

    ResponderExcluir